Últimas Notícias

Motociclismo Hell in Rio: Festival reúne Sepultura, Angra, Korzus, Almah e Velhas Virgens

Motociclismo Sabaton: ainda há ingressos à venda para os seis shows no Brasil

Motociclismo Golpe de Estado: noite de reencontros e ausências sentidas

Noticia de Motociclismo


Motociclismo Maximus Festival: Rammstein e sua espetacular pirotecnia

A banda mais aguardada da noite no Maximus Festival, sem dúvida, era a alemã Rammstein. Há 6 anos sem se apresentarem no país (a última vez foi em 2010, no Via Funchal), eles eram a atração principal, e parecia que o cenário do festival tinha sido feito para eles, afinal havia chaminés soltando fogos por todos os lados do Autódromo de Interlagos.

Diferentemente de 2010, desta vez trouxeram a cenografia completa, incluindo o elevador, de onde os guitarristas Richard Kruspe e Paul Landers desceram durante a abertura, enquanto Till Lindemann aparece de branco fazendo um sapateado. A música de abertura, “Ramm4”, é “nova”, cuja letra traz simplesmente o nome de diversas músicas do seu repertório.

O repertório da turnê, que começou em junho deste ano, também inclui músicas que eles não tocavam há muito tempo, como “Hallelujah”, “Amerika” e “Stripped”, uma versão do Depeche Mode. Os países da América Latina ainda tiveram uma música bônus, “Te Quiero Puta!”, cantada em espanhol.

Não dá para falar de um show do Rammstein sem mencionar a pirotecnia, afinal é um elemento que faz parte da banda desde o seu começo. Lindemann, por exemplo, é pirotécnico certificado. É difícil falar destes efeitos somente com palavras (‘uma imagem diz mais que mil palavras’, afirma o ditado), e infelizmente não fomos autorizados a registrar imagens do show. Mas vamos tentar.

O palco em si imita uma indústria, portanto o fogo é parte constante do cenário. As partes móveis, incluindo o elevador já citado, também fazem um show de luzes. A pirotecnia é até moderada no começo, mas em “Feuer frei!” (em tradução livre ‘abra fogo’) tudo começa a explodir, e culmina com Lindemann, Kruspe e Lander soltando fogo como se fosse pela boca, com um lança-chamas.

Em “Ich tu dir weh”, acontece uma encenação com Till Lindemann e o tecladista Christian “Flake” Lorenz, onde o último é colocado numa banheira e Lindemann derrama faíscas sobre ele, que eventualmente se levanta com outra roupa, toda brilhante. Logo depois, em “Du riechst so gut”, Till usa um arco que solta faíscas e roda pelo palco, num efeito muito impressionante. Em “Mein Herz brennt” (“Meu coração queima”) ele simula um coração pegando fogo.

Já para o final do show, na famosa “Du hast”, há uma sequência pirotécnica espetacular, e Till atira foguetes que atingem uma das torres de luz e som, e esta atira os foguetes de volta para o palco - e tudo explode. A partir deste momento essa torre passa a cuspir fogo também. Em “Engel”, Till veste asas (como as de um anjo, título da música) e levita, soltando faíscas e, no final, fogo. É uma cena emblemática, que gera as melhores imagens.

O Rammstein faz hoje em dia um dos maiores espetáculos do mundo, e com certeza o melhor do metal. São shows que marcam a memória daqueles que assistem. A banda será sempre muito bem-vinda no Brasil.

Fonte: Rock Online

Mais notícias

Motociclismo, Motos e motociclistas no Vale do Paraiba
Riders Of Freedom
Galeria de Fotos de motociclismoVídeos de motosNotícias sobre motos, motoclubes, eventos de motociclistasConheça o ROF, ideologias e filosofias de um motociclistaFale Conosco